“Prodígios de Ferro”! A nova geração que fará sua estreia como PRO no Ironman

Eles formam um trio de “meninos-prodígios” das longas distâncias. Danilo Melo, Fellipe Santos e Luis Ohde são integrantes da nova geração de triatletas brasileiros apaixonados por provas de Ironman e Meio Ironman e, além do gosto pelos quilômetros, eles têm outra coisa em comum, todos os três nasceram no Paraná.

2016 está sendo a primeira temporada deles como triatletas profissionais e, no próximo domingo, estarão alinhados no Ironman Florianópolis – ao lado de nomes consagrados como Tim Don, Guilherme Manocchio, Brent McMahon, Ronnie Schildknecht, Santiago Ascenço, Fabio Carvalho e Paul Mathews, entre outros grades nomes – para um dos maiores prazeres que um atleta PRO pode ter: “correr em casa”.

Ano passado, também em Floripa, Ohde e Santos, foram respectivamente, os 1º e 2º amadores a cruzarem a linha de chegada em Jurerê Internacional e, no Mundial em Kona, Fellipe foi 3º e Luis o 4º colocado, com ambos subindo ao pódio na categoria 18/24 anos. Já Danilo, veio de excelentes performances na distância de Ironman 70.3, sendo o melhor amador do dia em algumas provas. Estes resultados dos três os credenciaram a ingressarem no outro patamar do esporte, a categoria profissional. Já sabem que – como se diz na gíria – “vão tomar na cabeça” por um tempo, mas só se evolui competindo entre os melhores, então estão certos em suas decisões.

FELLIPE SANTOS

Fellipe Santos, 3º colocado na cat. 18/24 em Kona, fará sua estreia como PRO em Floripa. Foto: Ricardo Andrade

Fellipe Santos, 3º colocado na cat. 18/24 em Kona, fará sua estreia como PRO em Floripa. Foto: Ricardo Andrade

Fellipe Santos tem 24 anos, 68km e 1,78m; nasceu em Curitiba e tem no sangue o triathlon. Gastão Gomes, seu pai, é triatleta há 30 anos e Fellipe sempre o acompanhou nas provas e sonhou que, um dia, poderia estar ali com ele. Conseguiu não só isso, mas se tornou um jovem talento do esporte brasileiro, com grande equilíbrio nas três disciplinas do triathlon. Para o próximo domingo, após o 16º lugar geral do ano passado, seu desejo é não criar expectativa: “Não tenho ainda uma perspectiva para essa estreia, pois não sei como é competir com os PROS, mas quero baixar meu tempo do ano passado! Esse ano treinei mais o pedal e natação, espero poder andar na ponta da prova e fazer uma corrida consistente sem muitos altos e baixos! Não tenho uma colocação em mente, desejo apenas fazer uma boa prova, sem nenhum imprevisto!revela ele.

LUIS OHDE 

Luis Ohde vai correr seu primeiro Ironman como profissional. Foto: Ricardo Andrade

Luis Ohde vai correr seu primeiro Ironman como profissional. Foto: Ricardo Andrade

O curitibano Luis Ohde tem 22 anos, 70kg e 1,89m. Peso e altura de atleta de elite formam o cartão de visitas deste triatleta que assim como seu conterrâneo Fellipe Santos, tem o triathlon em seu DNA. O pai, Luis Ohde também, é atleta amador casca-grossa, inclusive com participações no Ironman Havaí, e sempre incentivou o filho a ingressar no esporte. Para 2016, após a 14ª colocação geral de 2015 em Floripa, o jovem Ohde só deseja crescer, como ele mesmo diz: “Eu quero fazer minha melhor prova! Estou muito bem treinado, evoluí nas três modalidades e se tudo der certo e o clima colaborar, baixar uns 10 a 15 minutos do tempo ano passado.”

DANILO MELO

Danilo Melo fará sua estreia na distância Ironman, e já como PRO. Foto: Ricardo Andrade

Danilo Melo fará sua estreia na distância Ironman, e já como PRO. Foto: Ricardo Andrade

Nascido em Cianorte, Paraná, Danilo hoje mora e representa a cidade de Taubaté (SP). Ele tem 25 anos, 62kg e 1,72m. Ano passado foi o 10º colocado em sua categoria no Mundial de Ironman 70.3 e o primeiro amador geral no IM 70.3 Brasília e 2º amador geral no IM 70.3 Rio de Janeiro, além de ter sido campeão brasileiro 18/24 anos. O salto para a carreira profissional é grande, ainda mais estreando na distancia Ironman, mas Danilo vê com confiança a oportunidade: “Este é meu primeiro full Ironman, tanto como amador ou profissional. Como não tinha experiência ainda nessa distância, me dediquei de corpo e alma nos treinos, me preparando para o cenário mais difícil no dia da prova. Difícil falar em posição, mas espero conseguir fazer meu melhor nas três modalidades e continuar evoluindo nesse meu primeiro ano como profissional”, torce Danilo.

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br

error: copyright Trisport