Os “Top 10” dos erros para se perder peso!

Já passamos por isso, já fizemos o que nos foi indicado e continuamos acima do peso. Aqui estão os nossos erros:

1 – Medimos sucesso em quilos

Perda de gordura não necessariamente significa perda de peso. Malhar na academia pode te trazer ganho muscular, que por consequência te leva a ganho de peso positivo. “Mudanças no peso corporal refletem transformações de diferentes formas, não só gordura mas fluidos, minerais ósseos, tecidos e músculos. Isso significa que a perda de peso nem sempre se reflete em perda de gordura, assim como o ganho de peso corpóreo pode não representar ganho de gordura”, explicam os autores de Personal Nutrition, um livro-texto essencial sobre o assunto.

2 – Criamos uma imagem irreal de corpo perfeito

O abdômen “tanquinho” das capas de revista raramente existe na vida real. Atletas não correm pelo parque com cada um de seus músculos perfeitamente delineados e com cada curva acentuada. Essas imagens de mídia são muitas vezes criadas com auxilio de computadores. Tente visualizar imagens realistas de corpos, como por exemplo, tentando construir o corpo que tinha em um momento mais saudável de sua vida. Objetivos simples são mais fáceis de serem alcançados e mais gratificantes.

3 – Compramos alimentos dietéticos

“Alimentos fat-free e alimentos dietéticos podem ser traiçoeiros; se você examinar a embalagem de perto, notará que a diferença de calorias entre alimentos fat-free e os alimentos originais é mínima. Por que motivo? Quando os produtores extraem a gordura dos alimentos, eles adicionam extras como açucares para melhorar o sabor, adicionando calorias”, afirma Beth Summersill Ehrensberger, médica especialista e autora do texto “Making sense of fat in your diet” no site healthcastle.com. Os supermercados estão abarrotados de petiscos de 100 calorias e barras de granola cheias de açúcar e químicos. Ainda que saborosos, eles não fornecem calorias para energizar seu corpo. Escolha uma nutrição mais saudável ao invés de petiscos. Frutas e vegetais estão cheias de energia, vitaminas, minerais e antioxidantes.

4 – Pensamos que somente exercícios cardiovasculares seriam suficientes para alcançar o objetivo

Um circuito bem planejado envolvendo a combinação de exercícios cardiovasculares e treinamento para fortalecimento é mais eficiente para perda de peso do que 60 minutos pedalando ou correndo. Construir massa muscular é importante para a perda de peso e auxilia no equilíbrio do metabolismo. “Massa muscular diminui naturalmente com a idade. Se você não fizer nada para substituir a massa muscular que perder, você ira naturalmente aumentar o percentual de gordura em seu corpo”, é o que afirma Edward Laskowski, M.Sc., especialista em reabilitação na Mayo Clinic, Rochester, Minnesota, e co-diretor da Mayo Clinic Sports Medicine Center. “Ao contrário, um treino de fortalecimento pode ajudar na preservação e no aumento de massa muscular, em qualquer idade.”

5 – Nos desintoxicamos

A desintoxicação é sempre muito popular no fim do ano: você passa por sacrifícios toda a semana, sem café, sem pão, sem leite, confiando somente em água e limonada etc. No fim você pega seu estômago e seu intestino super limpos e começa a comer da mesma forma, tudo de novo. Fazer uma desintoxicação não é uma solução duradoura. Michael Picco, M.Sc., Gastroenterologista da Mayo Clinic explica, “não há qualquer evidência de que uma dieta de desintoxicação remova de fato as toxinas do corpo”.

A maior parte das toxinas ingeridas são eficiente e efetivamente removidas por rim e fígado e excretadas na urina e nas fezes. “Não é de fato uma solução duradoura e pode ser perigosa para a saúde”.

6 – Nos exercitamos mais, porém comemos menos – Aí está uma falsa boa idéia!

Exercícios queimam calorias, mas temos de repor essas calorias perdidas com alimentos de alta qualidade. Uma alimentação bem equilibrada inclui refeições feitas com todos os macronutrientes, como proteínas, carboidratos, e gorduras. Quando você inicia qualquer regime de exercícios, seu corpo irá requerer quantidades muito grandes de calorias para poder trabalhar com as demandas maiores do seu corpo. Sem calorias de qualidades adequadas nós normalmente compramos os tipos errados de alimentos, o que atrapalha a recuperação do treinamento e nos derrota mentalmente. Sentimos imediatamente aquela sensação de que estamos “trapaceando” e que perdemos todos os benefícios que estávamos tentando ganhar com os exercícios.

7 – Vivemos de milk-shakes e barras de proteínas

Milk-shakes de proteína e barras de substituição de refeições são normalmente repletos de açúcar e químicos – e não são os mais indicados para auxiliar na recuperação e reparação. Para reconstruir e reabastecer para uma sessão de treinos seguinte, nossos músculos precisam sim de proteínas e glicose; entretanto, eles também se beneficiam através de antioxidantes, que ajudam a curar inflamações. Alimentos que não criam uma boa quantidade de insulina a ser liberada são melhores para o seu metabolismo e poupa o seu pâncreas de estresse extra. Refeições bem balanceadas oferecem uma melhor nutrição. Preparar suas refeições com antecedência e ter de três a quatro refeições já prontas para serem consumidas é a solução, pois assim você poderá comê-las quando quiser.

8 – Comemos nossas refeições em intervalos de cinco horas

Quando nossas refeições são distanciadas em mais de cinco horas, nossos corpos respondem com o armazenamento de calorias ao invés de usá-las para obter energia. Seu pâncreas excreta mais insulina, te deixando com mais fome ainda e fazendo com que você tenha a sensação irreal de que está satisfeito. Se você abastecer sempre adequadamente o seu corpo, o que for ingerido será usado como combustível e não armazenado como gordura. Isso também mantém seu metabolismo operando de maneira mais ágil. Se você está comendo refeições nos horários certos e malhando, então você estará auxiliando o processo de construção de massa muscular no seu corpo.

9 – Ignoramos a qualidade dos carboidratos

A maioria das pessoas que querem perder peso evita carboidratos, mas nossos corpos precisam deles, pois eles são convertidos em energia. Sem eles, seu metabolismo será mais lento. Se você quer perder peso, você precisa comer a quantidade certa de carboidratos: macarrão, arroz integral ou normal, quinoa, cevada, batata-doce, ou seja, todo o complexo de carboidratos. De acordo com a American Diabetes Association, “Carboidratos são a mais importante fonte de energia para seu cérebro e músculos. Escolhidos sabiamente, alimentos ricos em carboidratos como grãos, frutas, vegetais e feijões irão prover maior quantidade de energia. Eles também provêm vitaminas, minerais e nutrientes muito importantes para o corpo”.

10 – Não comemos o suficiente

Quantas pessoas ainda pensam que perder peso se trata de cortar calorias: Sim, inicialmente, se comemos menos, perderemos peso. Mas algumas pessoas podem até passar pela experiência de não ter energia ou combustível suficientes, fazendo com que o corpo se alimente de seus próprios músculos (Quetose), um processo autodestrutivo muito perigoso. Normalmente, quando você se priva de alimentos, a tendência é que acabe se entregando a salgadinhos e rosquinhas mais tarde. Já passei por isso. Já fiz isso! A resposta é abastecer seu corpo com refeições bem balanceadas e lanches saudáveis para que o seu corpo se mantenha saudável e capaz de funcionar propriamente. Até agora, proibir o seu corpo de receber calorias não tem funcionado, e se não funcionou até agora, não irá funcionar no futuro.

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br

error: copyright Trisport