Não tenha vergonha de treinar LEVE ou POUCO – 2ª parte

bike

Há duas semanas publicamos a primeira parte deste artigo de tema tão importante (link da 1ª parte: http://goo.gl/W4o5kD). Hoje, segue o complemento do mesmo.

Após termos discutido, na primeira parte desse artigo, sobre treinar com baixos volumes (focando, principalmente força e velocidade) e mesmo assim obter bons resultados e performance. Vamos explorar o segundo caso citado no título que vem de encontro, basicamente, a dois aspectos: primeiro a crença de que treinos com intensidades baixas não trazem benefícios e segundo a competitividade que, muitas vezes, existe quando saímos para treinar em grupo.

Ouço muitos atletas dizerem: “Pra treinar leve eu prefiro ficar em casa!”

Esse tipo de pensamento é extremamente prejudicial por vários motivos. Vamos a eles:

– Os treinos leves são também chamados de regenerativos e são importantes exatamente porque ajudam o corpo a se recuperar das grandes exigências dos treinos intensos. Esses treinos têm a função de fazer uma espécie de reparo muscular, das fibras e do sistema cardiovascular, pois ativa a circulação e leva oxigênio para os grupos musculares auxiliando também na remoção de resíduos metabólicos produzidos durante exercícios de alta intensidade.

– Ficar sem treinar, “quebra” a consistência e a rotina, além de muitas vezes, sermos obrigados, por imprevistos do cotidiano, como compromissos profissionais e/ou familiares, doença ou mesmo uma viagem a ficar sem treinar e aí lá se vão mais uns dias de inatividade, o que pode acarretar em perda de condicionamento.

– É também treinando em intensidades mais baixas que aperfeiçoamos nosso sistema de utilização dos ácidos graxos (gorduras) como fonte de energia. Isso cria uma base para suportarmos as maiores intensidades e tornarmos nosso “motor” menos dependente dos carboidratos, o que faz em longo prazo, sermos mais rápidos em intensidades menores. Uma passagem muito famosa, que comprova isso, foi um período de aproximadamente um ano que o Hexacampeão do Ironman do Havaí e lenda do nosso esporte, Mark Allen, passou fazendo um treino de corrida de dez milhas, onde seu batimento cardíaco não podia passar de 155 bpm. No início, ele percorria cada milha por volta de oito minutos e quinze segundos (o que significa cerca de cinco minutos e dez por quilômetro ou onze e meio quilômetros por hora), mas no final desse período esse tempo tinha baixado para cerca de cinco minutos e vinte segundos por milha (três minutos e vinte por quilômetro ou dezoito quilômetros por hora) mantendo a mesma frequência cardíaca.

– Por fim, e acredito que esse seja o motivo mais importante pelo qual não devemos abrir mão dos treinos leves, seja para ficar em casa ou para trocá-los por um treino mais forte: nesses treinos temos a oportunidade de treinar nossas habilidades motoras. Por não estarmos preocupados com o ritmo ou com determinada intensidade, podemos incluir séries para o aprimoramento de nossa técnica tanto na natação, quanto no ciclismo e na corrida. Assim, aos poucos, conseguiremos o que chamamos de economia de movimento, gerando um menor gasto energético para um gesto motor mais refinado. Lembre-se que técnica só é válida quando conseguimos sustentá-la sob pressão! E apenas com muito treino esses movimentos ficarão naturais, espontâneos.

O outro fator que, invariavelmente, prejudica os treinos leves, como citado anteriormente, são os treinos em grupo. Nesses treinos, normalmente queremos acompanhar os amigos, que podem estar num ritmo mais elevado do que precisamos para aquela sessão ou acabamos “caindo na pilha” e acelerando mais do que devemos, prejudicando todo o planejamento daquele dia.

Portanto, quando estiver agendado em sua planilha um treino leve, não mude o planejado, pois fazer esse tipo de treino adequadamente te dará condição de treinar realmente forte quando for exigido. Aproveite essas sessões para aperfeiçoar sua técnica e mostrar a seus amigos que você é disciplinado com seu treinamento em busca de seus objetivos.

Rodrigo Tosta é treinador da ironguides (rodrigo.tosta@ironguides.net)

12232885_1726097907618346_8122950407958019611_o

Deixe seu comentário

comentários

Redação

The author didnt add any Information to his profile yet