MTB: Dicas no preparo da bike, cuidados e calibragem

XTERRA_WORLD_CHAMPIONSHIP_2015_00024

Antes de qualquer competição devemos ter um cuidado especial com a bike. No mountain bike existem várias opções de equipamentos para cada situação de prova e você deve analisar qual o ideal.

Tanto tempo e, certamente, dinheiro já foram gastos na fase da preparação que certas economias não valem a pena. Leve a bike para seu mecânico analisar a situação da mesma, se precisa de algum reparo ou trocar alguma peça. Assim, vai chegar no local da prova com uma preocupação a menos.

Se informe sobre a prova no site do evento e com amigos que já estiveram no local para saber em que tipo de terreno será realizado a prova, pois a escolha, por exemplo, de um pneu errado pode comprometer muito seu desempenho. Não negligencie certas informações, pois se o terreno é seco, mas tem grande probabilidade de chover no dia da prova, deixando o terreno com muita lama, prepare-se para estas duas situações. Coloque um pneu que seja razoável nos dois terrenos ou o que você acredita ser o melhor para a situação mais provável e leve outro para a outra opção de terreno.

Além do modelo do pneu, a calibragem é especifica para cada atleta e terreno. Existem algumas tabelas que especificam o que seria o ideal de calibragem para o pneu levando em consideração o peso do atleta e outras variáveis. O ideal é você testar nos treinos as opções. Achando a calibragem ideal para seu pneu para um terreno seco, você já vai ter uma noção de qual calibragem usar em outras situações utilizando essas informações. Se o terreno tiver muitas pedras que possam rasgar o pneu, aumente em média 2-4 PSI na pressão inicial; se o terreno estiver muito escorregadio ou com muitas subidas íngremes que exija uma maior tração, diminua 2-4 PSI na pressão inicial; se diminuir a largura do pneu, aumente a pressão e se aumentar a largura diminua a pressão, ambos os casos em 2-4 PSI.

A largura e o desenho do pneu estão sempre relacionados ao terreno. Terreno com muita lama exige um pneu mais fino (1.8 – exemplo) e com cravos maiores e mais afastados para não acumular lama. Terreno com muita areia fofa exige um pneu mais largo (2.4 – exemplo) e com cravos menores e mais juntos para não afundar e ter uma melhor rolagem.

Coloque esta tabela caso ache interessante colocar 

Aro 26 – Pneus 2.0-2.2 –   Condições Normais (Piso Seco)

Normal

Tubeless

Peso (kg)

Dianteiro/Traseiro

Dianteiro/Traseiro

60-69

31-33/ 34-36 PSI

27-29/ 29-31 PSI

70-79

33-35/ 36-38 PSI

29-31/ 31-33 PSI

80-89

35-37/ 38/40 PSI

31-33/ 33-35 PSI

90-99

37-39/ 40-42 PSI

33-35/ 35-37 PSI

>100

39-41/ 42-44 PSI

35-37/ 37-39

Aro 29 – Pneus 2.0-2.2 –   Condições Normais (Piso Seco)

Normal

Tubeless

Peso (kg)

Dianteiro/Traseiro

Dianteiro/Traseiro

60-69

27-29/ 30-32 PSI

22-24/ 25-26 PSI

70-79

29-34/ 32-34 PSI

24-26/ 27-28 PSI

80-89

31-33/ 334-36 PSI

26-28/ 29-30 PSI

90-99

33-35/ 36-38 PSI

28-30/ 31-32 PSI

>100

35-37/ 38-40 PSI

30-32/ 33-34 PSI

Aro 27,5 (650B) – Pneus 2.0-2.2 –   Condições Normais (Piso Seco)

Normal

Tubeless

Peso (kg)

Dianteiro/Traseiro

Dianteiro/Traseiro

60-69

29-31/ 32-34 PSI

24-26/ 27-28 PSI

70-79

31-34/ 34-36 PSI

26-28/ 29-30 PSI

80-89

33-35/ 36-38 PSI

28-30/ 31-32 PSI

90-99

35-37/ 38-40 PSI

30-32/ 33-34 PSI

>100

37-39/ 40-42 PSI

32-34/ 35-36 PSI

Cid Barbosa é treinador e triatleta

cfbarbosa15@hotmail.com

Deixe seu comentário

comentários

Redação

The author didnt add any Information to his profile yet