Jogo Rápido com Diogo Sclebin, em busca de sua 2ª Olimpíada!

Diogo Sclebin tem 33 anos, começou a praticar triathlon em 2000. É atleta da seleção brasileira desde 2006 e já participou dos Jogos Pan-americanos  de 2011 e de 2015; e das Olimpíadas de Londres em 2012.

 Como você avalia sua performance em 2015?

Foi um ano de evolução na minha performance. Participei de 20 competições, 15 delas fora do Brasil. Terminei o ano cansado, mas feliz com meu desempenho e sabendo que ainda há espaço para melhoras.

Continuar na seleção brasileira era uma meta no início do ano?

Desde 2008 me mantenho entre os dois primeiros no ranking nacional, o que me deixa bem feliz e ciente de que o trabalho tem sido bem feito. Sinto-me reconhecido profissionalmente por poder fazer parte da seleção brasileira pelo nono ano consecutivo.

 Que prova marcou o seu ano? Por quê?

O triathlon dos Jogos Pan-americanos de Toronto foi a competição que mais me marcou em 2015. Não pela positividade do resultado, pois fiquei em 15º, mas pela frustração de não atender minha expectativa. Desembarquei em Toronto com esperança de medalha. Me sentia treinado e capaz disso. No Pan de 2011 estava com bem menos expectativa e obtive a 5ª colocação. Certamente o Pan de Toronto me deixou mordido, o que vai ser bom para a minha preparação para os Jogos do Rio em 2016.

Que prova sente que poderia ter dado um pouco mais? Por quê?

Na etapa de Edmonton da WTS não fiz uma boa saída da água nem uma boa transição e perdi o pelotão principal. Era uma prova fria, com seis graus de temparatura. A mais fria que já competi até hoje. Era distância short e fiz uma boa etapa de corrida. Mas via a oportunidade de um excelente resultado escapar por vacilo meu, demorei um pouco pra digerir.

Qual sua meta como atleta da seleção brasileira em 2016?

Uma boa performance nos Jogos Olímpicos do Rio e uma medalha numa etapa de Copa do Mundo.

Que prova sonha em ter sua melhor performance?

Na prova das Olimpíadas do Rio.

Em que modalidade sente mais dificuldade e de que forma pretende trabalhá-la para ficar mais forte em 2016?

Natação. Venho nadando com um atleta velocista da natação do Minas Tênis Clube. Ele prescreve e acompanha meus treinos, o que já me proporcionou melhora considerável nessa modalidade.

O fato de ter a chance de disputar uma vaga na equipe que vai competir em casa já o faz encarar os treinos de forma diferente?

Antes e durante todos os treinos eu penso na minha participação na prova no Rio, o que me dá força para fazer com empenho o treinamento do dia.

Imagina-se alinhando para a largada na prova olímpica? 

Todos os dias.

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br

error: copyright Trisport