Ironman chegando! E a vontade de mexer um pouquinho na bike…

bike fit

Pois é, o Ironman Florianópolis está perto, os treinos diminuem e com isso começa a sobrar um pouco de tempo e a ansiedade aumenta. Rodas, uniforme, géis e por aí vai a lista infinita de coisas a separar, e detalhes para tentar acertar nesta fase final de preparação.

Nesse momento vem o assunto que me compete e onde quero chegar. Em casa olhando a nave (bike), o atleta tem a brilhante ideia de mexer nela. Ou até mesmo fazer um bike fit faltando duas semanas. Não! Não faça isso!

Você passou pelo menos 16 semanas em cima da bike, em torno de três vezes por semana, provavelmente na mesma posição, ativando as mesmas fibras musculares, trabalhando endurance, força, cadência, posição aerodinâmica e, faltando seis a oito treinos, vai mudar de lugar tudo o que construiu? Acredite, isso não vale a pena.

Na última semana que passou, era só chegar alguém aqui no Studio com bike TT e eu já dava uma de vidente: Vai fazer o Ironman? E quase na totalidade a resposta era sim! Atendemos os triatletas, mas com o cuidado de alterar o mínimo possível a extensão/flexão e recuo do selim, para não alterar o “motor”.

Bom, nesta reta final, não tentem trocar componentes de contato tais como selim, guidão ou até mesmo as sapatilhas, aguentem a ansiedade! Nada mais leve ou mais “top” trará mais beneficio que o fator adaptação; testem tudo antes de usar e concentrem no principal elemento, você mesmo.

Bom Ironman Brasil a todos!

Wissthon Rodrigues é triatleta, Retul Fitter e Profissional de Educação Física

Atua em Caxias do Sul (RS) (bikefitcaxias@hotmail)

 

Deixe seu comentário

comentários

Redação

The author didnt add any Information to his profile yet