Igor Amorelli encara o Ironman Havaí pela 4ª vez!

Em preparação final para o maior desafio da temporada, o triatleta Igor Amorelli chegou no começo da semana ao Havaí para os últimos treinos antes do Mundial de Ironman, no sábado (8). Com pouco mais de dez dias para a prova em Kona, o catarinense ajusta os últimos detalhes para o grande dia lembrando de tudo que foi feito até a conquista da vaga.

Esse ano foi bem diferente. Foi um ano de muita luta e de acreditar até o final na conquista de uma vaga. Tivemos algumas dificuldades, mas deu certo. O meu objetivo sempre é Mundial em Kona“, explica Igor.

Por se tratar do principal evento do ano, o nível técnico é sempre muito alto em Kona e cada detalhe é fundamental para um bom resultado na temporada. Antes de embarcar para o Havaí, Igor Amorelli realizou ensaios no túnel de vento do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para testar posições aerodinâmicas no ciclismo.

Na Europa nós conseguimos usar algo do que foi feito nos testes. Como foram os primeiros ensaios ainda temos algumas coisas para evoluir, mas já deu para usar algumas posições, principalmente as de cabeça, nas decidas. Com certeza isso me ajudou bastante nos resultados da Europa, pois lá são provas de percurso com muita subida e descida, e os testes que fizemos fizeram diferença no rendimento”, explica Igor.

Primeira semana em Kona:
Em seu quarto ano consecutivo em Kona, Igor já conhece alguns segredos do arquipélago havaiano e tem focado sua preparação final em dois pontos específicos dentro do percurso de 3,9km de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida: a subida de Hawi e o trecho no Energy Lab.

Nessa primeira semana estamos fazendo alguns treinos mais fortes, especialmente nas subidas de Hawi, que é uma das partes mais duras do ciclismo. Na corrida a gente treina bastante no Energy Lab que é outro trecho crítico da prova. São esses dois pontos que a gente está treinando mais, pois é bom estar familiarizado com essas partes do percurso“, comenta.

Com relação a preparação e a expectativa para o evento, Igor prefere não fazer previsões. “Estamos tentando corrigir os erros que tivemos nos outros anos. Por mais tempo que a gente tenha, conforme vamos competindo e treinando vamos aprendendo coisas novas. Esse ano mudamos algumas coisas, inclusive no ciclismo, e o trabalho está sendo bem forte para chegarmos preparados no dia da prova. Quanto a resultados é difícil prever algo. O que digo é que você não pode estar cansado, pois Kona é uma prova muito dura, e a cabeça tem que estar muito boa. O que posso garantir é que vou dar meu máximo e o resultado nós veremos na hora“, encerra.

Deixe seu comentário

comentários

Redação

The author didnt add any Information to his profile yet

error: copyright Trisport