GP Extreme: Henrique Siqueira e Bruna Mahn vencem o desafio extremo!

No caminho do aeroporto de Campinas para a fazenda do urso ou como é mais conhecido, o Dahma Golf, me vieram várias lembranças e várias constatações.

Lá, em São Carlos, interior de São Paulo, cerca de 2hs de carro de Campinas, é terra do grande Colucci – sim, Reinaldo Colucci, um dos maiores triatletas do país, senão o melhor de todos os tempos. Quer mais? Lá é terra de Brett Sutton (considerado o melhor técnico de triathlon do mundo) e palco de  treinamento dos melhores triatletas do mundo que utilizavam as instalações para os memoráveis training camps há 10 anos atrás. Mas isso, vamos deixar para outra matéria. (Veja matéria especial na edição de Maio da Tri Sport Magazine).

O Damha Golf, ao contrário do que o próprio nome sugere, é terra do GP Extreme Triathlon. O mais casca-grossa do país. Atestado por nós e pelos próprios atletas.

E como o próprio Sandro Bernardoni enfatiza, o organizador, essa prova é um excelente teste preparatório para as provas da temporada.

Um quilômetro de natação e um lago lindo e pesado, 100 km de bike com subidas e descidas técnicas em um asfalto perfeito e um visual deslumbrante e, mais 10km de corrida onde o recorde de um atleta profissional não é menor de que 37 minutos – veja a dificuldade. Sobe e desce, sobe e desce – tudo muito extreme e fascinante, encapado pelo visual rural e bem tratado do Damha.

Depois de 3h40 de prova o grande Extreme foi o brasiliense Henrique Siqueira, primeiro a cruzar a linha de chegada, melhor ciclismo do dia, dominou a prova onde ela é mais dura, controlou na corrida, vindo de lesão, venceu.

No feminino, a paulista Bruna Mahn correu muito, superando a atleta local Vitória Remali nos 10km finais.

No domingo os atletas ainda encaram o Sprint Triathlon, um mini-extreme nas distâncias 750m de natação, 20km de ciclismo e 5km de corrida.

Ainda teve triatleta que encarou as duas provas. Bota extreme nisso!

O GP Triathlon proporcionou uma grande experiência aos atletas e foi bonito de ver todos encarando as montanhas e as descidas em alta velocidade com muita técnica e coragem num verdadeiro “autorama triatlético”, seguro e de alto nível.

Que venha 2017! Aguardem novidades.

 

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br

error: copyright Trisport