Entrevista: Ariane Monticeli conta os detalhes de sua prova heróica no Ironman Suíça!

Ariane Monticeli, a principal atleta de longas distâncias do Brasil na atualidade, conseguiu pelo segundo ano consecutivo se classificar para o Mundial de Ironman, mas, para realizar tal feito, sofreu… mais do que o normal! pois teve que superar uma forte lesão no pé após seu primeiro passo na largada do Ironman Suíça, quando deu um pisão numa pedra. Confira os detalhes da saga de Ariane e sua luta para conseguir seu objetivo: A vaga para Kona!

Durante o Ironman Suíça, quando percebeu que o quê estava sentindo era mais do que uma dor de topada?
O primeiro passo que eu dei na largada foi um pisão em cima de uma pedra, senti uma dor forte na hora, mas na natação, das dores essa foi a menor; como a largada é mais forte, estava preocupada e fixada em outras coisas. Saí da água e já não consegui colocar o pé inteiro no chão, fui mancando na ponta do pé, na transição senti e coloquei a mão, a dor já era grande e já está bem inchado.

Temeu pela sua prova ou nem pensou nisso?
No pedal não senti dor, só um desconforto, aí eu ajeitava o pé, mas não pensava e nem lembrei dessa dor, porque tinha outras coisas doendo mais… baixei a cabeça e, na verdade, eu estava me sentindo bem no pedal, estava confiante. O pedal pra mim foi fácil, apesar da elevação, subi bem… cheguei a pensar, hoje vou fazer minha melhor maratona, minhas pernas estão limpas, sem dor alguma! Mas quando desci da bike e toquei o chão, ali eu sabia que tinha algo de muito errado, a dor era insuportável… fui mancando na ponta do pé, apertei um pouco o pé antes de por o tênis pra sentir algo solto, mas estava muito inchado.
Os primeiros passos foram os mais dolorosos da minha vida, não pensei que estava quebrado, só pensei ‘está doendo, mas eu vou mesmo assim, não vim até aqui pra desistir, não quero fazer outro Iron pra tentar a vaga, tem que ser esse e agora.’
Então durante toda a maratona eu falei comigo, ‘você consegue!’, eu só repetia isso, senti sono algumas vezes e fiquei com medo de desmaiar, aí mandava gel e Coca-Cola, mas a dor era indescritível, agora eu não consigo entender como eu aguentei isso, eu simplesmente pus isso na minha cabeça de uma forma tão forte que fez aguentar a dor. Faltando 4km a canadense que eu já havia ultrapassado me pegou novamente, eu pensei, agora eu preciso virar homem, 4km e eu puxei tudo que eu podia, ultrapassei meu limite com certeza.

A alegria da vaga para o Mundial, após dificuldades em seus dois Ironmans do ano, tem um sentimento ainda maior?
Pelas contas já sabia que tinha classificado, mas estava nervosa até sair o resultado oficial!! Quando recebi o e-mail não acreditei! a única coisa que eu quero desse ano é fazer uma prova boa lá! Top 5, top 10, top nada, não importa o resultado, somente fazer a prova no máximo da minha capacidade, sem lesão, sem problema, o resultado será consequência, quero me preparar e fazer o melhor que eu puder, esse é o meu maior sonho no momento é eu sei que eu posso vencer essa ilha.

13652683_10208708614584795_324434801_n

O pé esquerdo de Ariane Monticeli continua muito inchado.

Quais serão seus procedimentos de recuperação agora?
Meu pé está muito inchado, mas já estou com acompanhamento médico do Brasil, mando vídeo e foto do meu pé a cada oito horas, pé pra cima, gelo e remédio, tenho que fazer ressonância, porque o raio X não acusou fratura, mas o médico daqui acredita que pelo estado do pé e pela piora, deve ter ocorrido uma fratura pequena que só a ressonância vai mostrar; é que está horrível hoje, impossível por no chão ou tocar, mas sinceramente acho que vou curar logo isso. Fico aqui mais uns dias ainda, iria ficar 12 dias, mas vou voltar antes.

Já tem ideia de quando voltará a correr?
Não, está muito inchado, preciso de mais exames. Aproveito para agradecer à minha equipe técnica e a torcida!

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br