Duas triatletas americanas são pegas no doping

As triatletas profissionais americanas Beth Gerdes, vencedora do Ironman Austrália 2016 e a atleta Lauren Barnett, testaram positivo para a substância Ostarina.

As duas triatletas admitiram, independentemente, terem testado positivo a mesma substância, que é ilegal. Beth, testou positiva logo depois da sua vitória em maio do ano passado, enquanto Barnett foi descoberta durante um teste de competição, em julho de 2016.

 A Ostarine(a) é um andrógeno receptor modelador e está listado como uma substância anabólica e proibida desde 2008.

Contaminação
As duas triatletas negaram ter tomado a medicação e sabe-se até agora que elas consumiram vários suplementos durante as provas.

Lauren Barnett

Lauren Barnett

Barnett conseguiu provar que o suplemento usado na prova  foi a causa do seu teste positivo. Testes de laboratórios foram feitos em pílulas de sal usadas em competição, onde foram achados traços da substância proibida. Sua suspensão foi reduzida para seis meses e acaba na semana que vem.

 

 

Beth Gerdes, venceu o Ironman da Suiça em 2015 e testou positiva em 2016, depois da sua vitória no Ironman Austrália. A atleta alega a possibilidade de contaminação em suplementos já que admitiu somente o  uso de proteína e melatonina – ambém não testou positiva em um exame realizado 4 semanas antes da prova. Ela explica os detalhes no seu blog.

Traços da substância foram achados em tabletes de sal mas não foram confirmados em testes seguintes. Assim, ela foi suspensa por 2 anos.

Nota: A penalidade para violação intencional de doping é de 4 anos. A atleta recebeu 2 anos de penalidade.

 

r4_0_1885_1063_w1200_h678_fmax

Beth Gerdes é a esposa do triatleta australiano Luke McKenzie

 

 

Deixe seu comentário

comentários

Redação

The author didnt add any Information to his profile yet