Ciclista é pego no doping com droga que nem chegou ainda ao mercado!

A UCI anunciou hoje a suspensão provisória para o ciclista italiano Fabio Taborre (Androni Giocattoli) depois que ele testou positivo para uma droga proibida  conhecida como FG-4592. A droga foi detectada num controle fora de competição em 16 de junho de 2015.

É o segundo caso de doping para a equipe Androni, após Davide Appollonio ter testado positivo para EPO em 14 de junho. De acordo com as novas regras que entraram em vigor este ano, o segundo resultado analítico adverso provocou uma suspensão automática da equipe, que pode variar de 15 a 45 dias. Taborre também receberá pessoalmente uma multa 100.000 € por parte de sua equipe, se for realmente confirmado positivo.

FG-4592 é um composto que está em fase 3 de testes clínicos e ainda não foi comercializada. Também conhecida como Roxadustat, a droga foi desenvolvida em conjunto pela FibroGen e AstraZeneca. Ao contrário de EPO, que estimula diretamente a produção de células vermelhas do sangue, FG-4592 é tomado por via oral, e estimula a produção natural de EPO de uma forma semelhante ao treinamento de altitude. Esta classe de compostos é proibida sob o código da Wada.

Taborre é o segundo ciclista testar positivo para a droga este ano. Nos Jogos Pan-Americanos em Toronto, Carlos Oyarzun do Chile foi encontrado positivo para FG-4592 e expulso da competição.

Fabricantes de drogas estão cada vez mais dispostos a cooperar com as autoridades anti-doping para ficarem um passo à frente dos dopados. Os fabricantes de drogas começaram a criar métodos de detecção de drogas que podem melhorar o desempenho antes de os compostos chegar ao mercado, porque os atletas estavam se apossando de drogas enquanto eles ainda estavam em desenvolvimento.

Fonte: Cyclingnews

Deixe seu comentário

comentários

Redação

redacao@golonger.com.br

error: copyright Trisport